Servidores municipais de SP fazem nova manifestação contra reforma da Previdência

Servidores públicos municipais de São Paulo fizeram novo protesto em frente à Câmara Municipal na tarde desta terça-feira (27). A manifestação é contra o projeto de lei proposto pela gestão do prefeito João Doria (PSDB) que aumenta a contribuição previdenciária da categoria.

O projeto da reforma previdenciária para servidores municipais pretende, entre outros pontos, aumentar a alíquota básica de contribuição previdenciária de 11% para 14%. O executivo quer que a proposta seja aprovada ainda nesta terça-feira, mas ainda não foi confirmado acordo entre os parlamentares para que o votação entre na pauta do plenário.

Nesta terça-feira, o prefeito João Doria se reuniu com vereadores para apresentar a nova proposta do Executivo para a reforma previdenciária. A Prefeitura aceitou retirar a alíquota suplementar de 5%, que poderia aumentar a contribuição dos servidores municipais para até 19%. Além disso, foi anunciado o aumento do piso da categoria de R$ 1.132 para R$ 1.400. O prefeito diz ter os 28 votos necessários para aprovar a proposta na Casa, e quer a votação nesta terça-feira.

Vereadores do PSDB dizem estar sofrendo pressão para aprovar. Ao menos três vereadores da bancada já informaram ser contrários ao texto, conforme informou a GloboNews.

Protestos

Uma série de protestos e manifestações de servidores públicos têm ocorrido quase diariamente nas últimas semanas. No dia da aprovação do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, o ato dos servidores terminou em confusão na Câmara Municipal.

Ao menos seis pessoas ficaram feridas naquele dia e houve tumulto no interior da Casa durante a audiência pública. Do lado de fora, manifestantes tentaram invadir e acabaram alvo de bombas de gás lacrimogêneo. A GCM e a Polícia Militar entraram em confronto com os manifestantes.

Fonte: G1

Compartilhe:

Voltar

 

Desenvolvido por In Company